segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Projeto da USP “Bandeira Científica” chega em dezembro a Belterra

Por Marcelo Pellegrini e Natália Natarelli

A Bandeira Científica é um projeto feito por alunos da Universidade de São Paulo (USP) que leva, todo ano, cerca de 170 estudantes para prestar atendimento médico e realizar atividades educativas com a população de cidades carentes. Em 2011, Belterra foi escolhida para sediar a expedição, que ocorrerá de 13 a 21 de dezembro. Serão três postos de atendimento no Centro e nas comunidades de Maguari, Piquiatuba, Corpus Christi e São Jorge. Os estudantes também passarão pelas comunidades ribeirinhas.
O atendimento médico começará com uma triagem de Clínica Geral e, a partir das queixas, os pacientes serão encaminhados para especialidades como Oftalmologia, Pediatria, Ginecologia, Otorrinolaringologia, entre outras. Além da medicina, áreas como Odontologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia, Nutrição também prestarão atendimento e farão atividades educativas com a população.

Foco no planejamento
A Bandeira Científica ainda conta com faculdades que desenvolvem projetos voltados para infraestrutura e planejamento. Os alunos da Escola Politécnica da USP planejam atividades de mapeamento do saneamento básico e da rede de esgoto, abastecimento de água e compostagem. Enquanto a Escola Superior de Agricultura trabalha com o manejo da terra e ações ligadas à agricultura em comunidades rurais.
Já a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade vai trabalhar com associações comunitárias e em projetos de geração de renda. O objetivo é melhorar a gestão e a administração das organizações locais.

Atividades Educativas
Foram planejadas para atuar em grupos estratégicos da comunidade: Agentes Comunitários de Saúde (ACS); Crianças, Jovens e Pais; e Gestantes.
Com os profissionais de Saúde serão abordados temas como: orientações sobre saúde bucal, doenças mentais e discussão sobre a profissão e os desafios do dia-a-dia.
Já com as crianças e jovens, as atividades serão voltadas para o esclarecimento sobre violência doméstica e como promover o diálogo entre pais e filhos. Especificamente para os jovens, serão discutidos temas como uso de álcool e drogas, gravidez na adolescência, planejamento familiar e educação financeira.
Para as gestantes, o projeto realizará o “Dia da Grávida” para fornecer orientações sobre o pré-natal, realização de ultrassom, orientação sobre saúde bucal, planejamento familiar e financeiro. O objetivo também é estimular a conversa e troca de experiência entre as gestantes, no intuito de perceber e abordar aflições e dúvidas comuns.
Além desses eixos, haverá atividades relacionadas à Agenda 21, à organização de cooperativas e com o Conselho Tutelar de Belterra.

2 comentários:

Eduardo disse...

Sua cidade está de parabéns, o trabalho da equipe da bandeira cientifica da usp foi muito importante aqui em Inhambupe, eu um dia quem sabe irei participar dessa equipe, o meu blog ajudou muito a equipe da usp com informações do meu blog, vou acompanhar a partir desse blog o trabalho. parabéns por divulgar Belterra ao mundo.
Eduardo
http://eduhistoriador.blogspot.com/

Nazareno Santos disse...

Esse tipo de ação é sem dúvidas louvável porque supre uma lacuna na carência em saúde no Brasil e principlamente nossa região.E ao mesmo tempo é um laboratório em campo aberto para esses jovens médicos que estarão posteriormenete atendendo a população.Inclusive tenho um filho de 22 anos(Pablo Wanrick)Acadêmico de Medicina na UEPA, em Santarém que também estará fazendo parte dessa bandeira científica.Mais exemplos como esse deveriam ocorrer, já que é positivo para a população carente e para o engrandecimento profissional desses jovens e promissores médicos.