sexta-feira, 30 de julho de 2010

Informações sobre o desasbastecimento de água em Belterra

Olá leitores do blog,

Eu fiquei de escrever um texto maior explicando o problema da falta de água em Belterra. Mas acabei viajando e fiquei devendo esta pra vocês.
Pesquisando sobre Belterra na internet, encontrei esta matéria publicada no jornal
Diário do Pará e a publico aqui. É bem legal e explica as origens do problema.

Belterra sofre com desabastecimento de água


Uma pane no precário sistema de captação de água da cidade de Belterra deixou a população local sem água nas torneiras por quase um mês. O problema foi originado pela queima da bomba que abastece a área central da cidade, onde cerca de 400 residências foram afetadas. Para amenizar o caos, a prefeitura, que é a responsável pelo serviço, foi obrigada a usar caminhões-pipa para levar água até às residências. O fornecimento foi restabelecido precariamente no final da semana passada.


A moradora Luciene Mota diz que esta é a segunda vez que a população belterrense fica sem água somente este ano. Ela conta que a primeira interrupção durou apenas cinco dias, mas também causou muitos transtornos “Eles falam que as bombas são muito antigas e por isso quebram com frequência”, disse a moradora.

Responsável pelo serviço de abastecimento de água da cidade, João Cláudio Rocha disse que a interrupção durou menos de um mês e que a demora para a manutenção no equipamento foi resultado da falta de peças para substituição no mercado local. “O município é obrigado a pedir de fora e quase sempre ocorrem atrasos na entrega”, disse Rocha.

Rocha afirma ainda que até o serviço ser normalizado, as famílias afetadas receberam entre quatro e cinco mil litros de água. “No começo, usamos três caminhões-pipa. Depois, por conta da necessidade, tivemos que aumentar para seis veículos”. Ele confirmou que o sistema é bastante antigo, pois parte do maquinário ainda é da época em que a Companhia Ford administrava Belterra.

Atualmente, segundo João Rocha, o sistema de abastecimento de água de Belterra atende a 836 habitações, entre residências e prédios comerciais, somente na área urbana. Na área rural do município, o abastecimento é feito por poços artesianos, semi-artesianos e também por caminhões-pipa.

Sem recursos para fazer a manutenção do sistema e à mercê de máquinas ultrapassadas, a Prefeitura de Belterra solicitou ajuda ao Governo do Estado, na expectativa de que este adquira bombas novas e as doe ao município.

Outro problema apontado por Luciene Mota e confirmado por João Rocha é a inadimplência dos usuários. Pelas informações fornecidas pela prefeitura, de cada 10 residências de Belterra, apenas três pagam a conta de água, no valor de R$ 10. (Diário do Pará)

Nenhum comentário: