quinta-feira, 3 de junho de 2010

Paciência

Amanhã há de ser
O amanhecer
Do meu adormecer

A manhã arde o ser
No anoitecer
Do meu amanhecer

Continuo a esperar
Teu entardecer
Entrar, descer

Um sinal terei de você
Terei você
Ou não vou ser

Vou me entorpecer
De te esperar ser
Sem desaparecer

E mesmo sem você
Eu ainda vou ser
O eterno amanhecer

De esperar você…


De Jota Ninos, poeta e jornalista santareno.