quarta-feira, 30 de junho de 2010

Nossa região recebe as gravações do Filme Tainá III

Foto: Albanira Coelho

Os atores Guilherme Berenguer, Laila Zaid e Leon Goes estão há três dias em Alter do Chão aguardando as filmagens

As filmagens do Tainá III começam amanhã, em Alter do Chão., vila de Santarém, Oeste do Pará Os atores acima (Guilherme Berenguer, Laila Zaid e Leon Goes) foram entrevistados, hoje, pelos jornalistas José Ibanês e Albanira Coelho, e falaram da impressão que tinham sobre a Amazônia. Dizem que após o retorno para o Rio de Janeiro a visão a respeito de muitas coisas não será a mesma. Alter do Chão encantou e os atores estão de acordo que trata-se mesmo do Caribe do Brasil, e não somente da Amazônia.

O Filme Tainá III deverá estrear nas telas de cinema, em janeiro de 2011. A produção da obra cinematográfica vai custar mais de seis milhões de reais. Só nas filmagens serão injetados seis milhões. Três deles devem aquecer a economia de Santarém.

As instalações dos cenários serão mantidas para que outras produções sejam realizadas no local. O turismo também deverá ganhar com a formação de um roteiro para que turistas visitem Alter do Chão e os lugares onde parte do Tainá III foi produzido.

As filmagens com cenas em Alter do Chão, Flona e Santarém vão até 14 de agosto. Depois o elenco segue para o Amapá, onde finaliza a obra.

Com a presença do elenco que vai participar da terceira versão do filme Tainá, começam nesta quinta-feira os trabalhos de filmagem da obra que conta a história de uma indiazinha que luta contra perigosos bandidos em defesa da biodiversidade da Amazônia. A locação está sendo feita no balneário de Alter do Chão, vila localizada a 34 KM de Santarém, no Oeste do Pará, onde a produção do filme encontrou o cenário perfeito para rodar as novas aventuras de Tainá.

Inicialmente as locações serão feitas no cenário montado às margens do Lago Verde, no próprio lago, na Floresta Nacional do Tapajós, município de Belterra e na cidade de Santarém. Depois de um mês, o elenco se desloca para o Amapá onde prosseguem as filmagens.

Na última terça-feira chegaram à vila os atores Guilherme Berenguer, Leon Goes e Laila Zaid que farão o papel dos bandidos que tentam destruir a floresta. Hoje, eles passaram o dia treinando as ações que farão durante as gravações, como pilotagem de lancha e pescaria com tarrafa. O ator Nuno Leal Maia, que fará o papel de um cientista, era aguardado na madrugada desta quinta-feira. Paulo Gracindo Júnior, que atuará no papel do avô de Tainá, deve chegar na sexta ao local das filmagens.

O primeiro filme, Tainá: Uma Aventura na Amazônia, foi lançado em 2000, alcançando a marca de 852 mil espectadores, faturando R$ 3 milhões de reais em 49 semanas de exibição nos cinemas brasileiros. A segunda película Tainá 2: A Aventura Continua, teve como protagonista a atriz paraense Eunice Baía, cujas locações foram feitas em Manaus e São Paulo, em 2004.

Para dar continuidade à série, a produção viajou por 40 aldeias indígenas da Amazônia e fotografou mais de três mil meninas. Dessas, foram selecionadas 11 que seguiram para Belém onde passaram por exercícios e testes, desenvolvendo habilidades necessárias para viver a personagem. Muitas nunca tinham saído de sua aldeia, como a índia da etnia tembé, Wiranu Tembé, da aldeia Tekohãw, em Paragominas, escolhida para protagonizar a aventura de Tainá 3.

A diretora do filme, Rosane Svartman diz que o terceiro filme de Tainá vai contar as origens da personagem, a partir dos cinco anos. “Nessa aventura, ela vai sofrer diversas transformações até se transformar numa guerreira”. Para a produtora, o filme vai ganhar muito tendo como pano de fundo o balneário de Alter do Chão que considera um lugar surpreendente. Rosane disse que todos os atores convidados para participar do elenco assimilaram bem a idéia de trabalhar num filme sobre a Amazônia, filmado na Amazônia.

Atores ficam surpresos com cenário natural

Depois de um treino de pilotagem em uma lancha de seis pés no Lago Verde, os atores Guilherme Berenguer, Leon Goes e Laila Zaid conversaram com a reportagem do Diário e se mostraram surpresos com as belezas naturais que encontraram. Nenhum deles conhecia a região, mas não tiveram nenhuma dificuldade em se adaptar ao trabalho. “Realmente é um lugar lindo, as pessoas são muito acolhedoras”, disse Laila. Leon Goes lembrou que a sua expectativa sobre as belezas da região foi superada, pois já tinha ouvido falar do Caribe Brasileiro através da imprensa.

Guilherme Berenguer, que passou três anos apresentando o programa Globo Ecologia, da Rede Globo, também não conhecia a região do Baixo Amazonas. Ele destacou que o brasileiro precisa ter orgulho da Amazônia, hoje vista como uma marca mundial na área de meio ambiente. Ele disse que ficou impressionado com a simplicidade dos moradores e o carinho da recepção, destacando que será o primeiro trabalho desse tipo (filmado todo na Amazônia) que vai realizar.

Sobre a questão ambiental, principal tema do filme, os três atores destacaram a necessidade de se promover o desenvolvimento sustentável, sabendo utilizar a água, a energia, ter consciência ambiental. “Tem que crescer sustentavelmente, sem comprometer os recursos naturais”, disse Laila Zaid.

Sobre as contradições entre a riqueza da biodiversidade e a pobreza da população local, os atores defendem que a Amazônia é brasileira e precisa ser cuidada. “Se a gente não souber cuidar, vamos dar mais ferramenta para quem está lá fora querendo entrar”, disse Laila. Leon Goes criticou os estereótipos de que a Amazônia precisa ser conservada, enquanto a população está abandonada. “Muitas vezes as pessoas valorizam mais o jacaré do que o homem que vive aqui”, disse, acrescentando que é necessário equilibrar as forças do crescimento com a responsabilidade da preservação dos nossos recursos naturais.

Por José Ibanês e Albanira Coelho.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Blog conectando filho e pai

Tudo começou quando recebi um comentário no blog. Em Porto Velho - Rondônia o belterrense Ronaldo Santos encontrou este blog, em meio à pesquisa na internet. Então resolveu escrever:
....Cresci em Belterra, morei até aos meus 14 anos..... depois me mudei para Manaus e minha familia ficou em Belterra.......desde lá perdi o contato....já faz 15 anos que não tenho notícias deles.....achei seu blog......e decidi escrever e pedir, se vc puder me ajudar com alguma pista da minha família.....eu morava na Estrada 08 e meu pai se chama Carlito.
Fiquei fascinada com a idéia de ajudar uma pessoa que está tão longe e com uma necessidade tão instigadora para mim como blogueira de Belterra.
Anotei as pistas e saí pela cidade à procura do Sr. Carlito que morava na Estrada Oito. Depois de várias dicas, soube que este Sr. já não morava mais lá, que tinha se mudado para a comunidade Portão de Belterra e que lá exercia a profissão de borracheiro.
No sábado, aproveitando a ida para casa da minha avó resolvi enconstar lá na borracharia e pesquisar se realmente se tratava da pessoa que eu procurava. Apresentei-me para o Sr. e contei a história que eu estava pesquisando. Ele olhava meio desconfiado no início da conversa e depois afirmou:
Ronaldo Santos é meu filho que foi embora pra Manaus e que nunca mais tive contato.
Nossa fiquei emocionada de ver a alegria naquele rosto ao receber notícias do filho que não vê há tanto tempo. Apressada para apanhar o ônibus, me despedi deixando os contatos que Ronaldo havia me repassado e marquei de voltar outro dia com mais informações.

Ufa! Tinha encontrado o pai do Ronaldo e não via a hora de contar-lhe do ocorrido. O que aconteceu na noite de ontem, logo após minha chegada da colônia da vovó. Mas essa é outra história que conto ainda esta semana....

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Cinema em São Jorge

Organizado pelos jovens do Telecentro Comunitário de São Jorge, o projeto Cinema no Telecentro atraiu um bom número de expectadores para sua primeira exibição. O filme apresentado na noite de hoje aqui na comunidade, é um filme de ação: Joe. Conhecem?
Cheguei por aqui à tarde e já conversamos sobre a idéia de criar o Grupo de Jovens da Comunidade de São Jorge e organizar atividades legais com a juventude local. Na próxima semana o papo continua coma turminha animada daqui sobre o assunto.
São Jorge é uma comunidade localizada na Floresta Nacional do Tapajós, onde morei quando criança e que hoje possui um Telecentro Comunitário.
Amanhã estarei indo para a casa dos meus avós. Fica bem longe e vou aproveitar que estou um pouco mais perto para chegar por lá.
Acho que vou tomar banho de igarapé, comer peixe com farinha, papear até altas horas com as pessoas mais velhas e curtir bastante meus avós.
Quando chegar, conto as aventuras vividas por lá.

Carimbó da Terra faz sua estréia

O Grupo de dança “Carimbó da Terra” do MOJOB – Movimento Jovem de Belterra , fez sua estréia neste dia 24 de junho na Comunidade de Porto Novo – Rio Tapajós.

Com cerca de 35 componentes, o “Carimbó da Terra” abrilhantou a Festa Junina da Escola São Francisco de Porto Novo, com passos bem coreografados, os integrantes mostraram muita sensualidade e ginga no pé.

Houve ainda a apresentação da “Quadrilha Arrocha meu Patrão”, grupo que também faz parte do MOJOB. A quadrilha apresentou coreografia irreverente que mistura o tradicional com o humoristico. Logo após o MOJOB se deslocou para o Bairro de Nossa Senhora das Graças, na Estrada 10, onde se apresentaram.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Agitos de São João em Belterra

O mês de junho é o mês das festas juninas. Em Belterra não é diferente.
Hojé é dia de São João e a festa acontece em muitas escolas municipais.
Eu estou acompanhando o nosso grupo de jovens, o MOJOB e a noite promete ser longa.
Acabamos de chegar na comunidade ribeirinha de Porto Novo para a festa da Escola Municipal São Francisco de Assis onde dançará a nossa quadrilha Arrocha meu patrão e o Carimbó da Terra se apresentará pela primeira vez em 2010.
Depois subimos a serra e chegaremos para a festa da Escola da Estrada 10 onde também nos apresentaremos.
Estou escrevendo tudo no Twitter: @monicabelterra com a tag #mojob

terça-feira, 22 de junho de 2010

Tal mãe, tal filha

Minha mãe Maria Irlanda de Almeida aos 21 anos.
Eu, Mônica de Almeida aos 21 anos.

Parecidas não?

Pré-selecionada no ProUni

A notícia chegou assim:
Mônica de Almeida,
Você foi pré-selecionado(a) em primeira chamada no Processo Seletivo do ProUni na opção abaixo detalhada.

Curso: Pedagogia
Instituição de Ensino superior: Universidade Luterana do Brasil
Polo de Santarém - Pará
Modalidade: Ensino à distância

Pense na alegria que foi receber novamente esta notícia. Quando a recebi no início deste ano, deixei a oportunidade escapar e não enviei a documentação necessária para comprovar as informações da inscrição no ProUni- Programa Universidade para todos.
Agora, acredito que Deus está me dando uma segunda chance para voltar à faculdade. Mesmo que não seja jornalismo, fico muito contente de continuar meus estudos.
Agora é juntar a documentação necessária e enviar pra a ULBRA de Canoas - RS até o dia 02 de julho de 2010.
Ehhhhhhhhhhhh!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Belterra, minha cidade pequena

CORETO DA PRAÇA DO CORAÇÃO DE BELTERRA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
CORETO DA PRAÇA DO CORAÇÃO DE BELTERRA

IGREJA DE SÃO JOSE-BELTERRA -PA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
IGREJA DE SÃO JOSE-BELTERRA -PA

CASAS DE BELTERRA , EM ESTILO NORTE AMERICANO, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
CASAS DE BELTERRA , EM ESTILO NORTE AMERICANO

ESCOLA DARCY VARGAS-ESTRUTURA DEIXADA PELOS NORTE -AMERICANOS, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
ESCOLA DARCY VARGAS-ESTRUTURA DEIXADA PELOS NORTE -AMERICANOS,

PRAÇA BRASIL DE BELTERRA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
PRAÇA BRASIL DE BELTERRA
BOSQUE DE SERINGUEIRAS, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
BOSQUE DE SERINGUEIRAS

ÁREA COMERCIAL DE BELTERRA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
ÁREA COMERCIAL DE BELTERRA
VISTA AERÉA DE BELTERRA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
VISTA AERÉA DE BELTERRA
FESTA NO CORAÇÃO DE BELTERA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
FESTA NO CORAÇÃO DE BELTERA

CASA DA VILA AMERICANA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
CASA DA VILA AMERICANA
CASA HENRY FORD, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
CASA UM

RIO TAPAJÓS - BELTERRA-PA, Por JULIO CESAR DE ALMEIDA
RIO TAPAJÓS - BELTERRA-PA

Igreja matriz de santo antonio de padua, Por julio cesar de almeida-
Igreja matriz de santo antonio de padua

caixa da agua de belterra, Por julio cesar de almeida-
vila mensalista , Por julio cesar de almeida Belterra-PA
Praça Brasil
Praça Brasil
Portal
Prefeitura
Prefeitura




Pindobal
Pindobal

Praia de Maguari
Praia de Maguari

Lazer
Lazer

Pôr-do-Sol no rio Tapajós
Pôr-do-Sol no rio Tapajós

Vista da praia de Aramanaí
Vista da praia de Aramanaí

A Árvore
A Árvore

Praia de Aramanaí
Praia de Aramanaí

Praia de Pindobal
Praia de Pindobal

Luz do Sol
Luz do Sol

Jamaraquá
Jamaraquá

Praia de Porto Novo
Praia de Porto Novo

Praia de Aramanaí
Praia de Aramanaí

Cinema na Praça está de volta

O MOJOB retomou as atividades do cinema na Praça Brasil ontem A noite.

Ele não te esqueceu - Elias Rodrigues


Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta mãe se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Isaías 49:15

O Ser humano passa em sua vida por vários momentos significativos e que moldam ao redor do tempo a sua imagem pessoal, o seu caráter e o seu jeito de ser.
Porém, no meio deste tempo passamos por fases que olhamos ao redor e não encontramos absolutamente nenhum amigo para nos dar auxilio, ou ajuda.
Procuramos alguém para conversar, desabafar ou simplesmente para estar ao nosso lado, mas cadê? Onde está? Não encontramos.
Então, olhamos para cima e a única coisa que conseguimos enxergar são as nuvens escuras, e já não temos força para ver além disso. Achamos que não existe mais ninguém que se lembre de nós.
É exatamente neste momento que podemos nos refugiar e confiar em DEUS, pois ele nunca se esquece dos seus filhos.
Assim como anotamos as coisas importantes de nosso dia a dia para não nos esquecer, o Senhor anotou o seu nome na palma da mão Dele (Is 49:16), e ele sempre olha dizendo.. Não posso esquecer o meu filho.. Não posso esquecer a minha filha.
O Senhor está contigo em todo momento, e NUNCA se esqueceu de olhar para você.

Não importa qual seja a sua dificuldade, o Senhor nunca te abandona nos momentos difíceis, ele nunca deixa você lutar sozinho, ele nunca deixa você abandonado no meio do caminho, mas carrega você nos braços.

Desejo a você um dia de vitória ao lado daquele que nunca te esquece.


* Leia Outras mensagens no sitewww.eliasrodrigues.com.br

* Twitter: www.twitter.com/eliasrodriguess

domingo, 20 de junho de 2010

Documentário Killerbean em português

Até que enfim encontrei o Documentário Killerbean, produzido em 2009 pelos alunos do curso de documentário da Escola Nórdica da Suécia. Confiram:

Killerbean pt from RåFILM on Vimeo.

Programa Conexões Urbanas do AfroReggae grava no Telecentro de Belterra


Desde ontem, 19 de junho, está aqui na região uma equipe de produção do Programa Conexões Urbanas, produzido pelo Grupo Cultural AfroReggae, do Rio de Janeiro.

O fundador da organização, José Junior, é o próprio apresentador do programa que é veiculado no Canal Multishow. As gravações na região envolvem o trabalho do Projeto Saúde e Alegria. Ontem a equipe gravou na comunidade de Urucureá, no rio Arapiuns, onde Junior conheceu a experiência de produção de artesanatos em palha de tucumã, como forma geração de renda e manejo sustentável da floresta. Hoje, após entrevista na orla de Santarém com o coordenador do PSA, Caetano Scannavino, e encontro com a prefeita Maria do Carmo, a equipe veio para a cidade de Belterra, onde fez gravações sobre o programa de inclusão digital desenvolvido com o Telecentro de Inclusão Digital. Amanhã a equipe visita o Barco Hospital Abaré, que está prestando atendimento as comunidades da Floresta Nacional do Tapajós.

O Grupo Cultural AfroReggae foi fundado em 1993 para transformar a realidade de jovens moradores de favelas utilizando a educação, a arte e a cultura como instrumentos de inserção social. O embrião do projeto foi o jornal AfroReggae Notícias, cuja primeira edição circulou em agosto de 1992. O informativo – distribuído gratuitamente e sem anunciantes – logo se tornou um canal aberto para o debate de ideias e de problemas que afetam a vida de negros e pobres. Em 29 de agosto daquele mesmo ano ocorreu a Chacina de Vigário Geral, na qual 21 moradores inocentes foram assassinados. Um mês depois, os produtores do AfroReggae Notícias chegaram à favela de Vigário Geral oferecendo oficinas de percussão, capoeira, reciclagem de lixo e dança afro para os moradores dali.

Desde então, o Grupo Cultural AfroReggae investe no potencial de jovens favelados, levando educação, cultura e arte a territórios marcados pela violência policial e pelo narcotráfico. Ao longo de seus 17 anos (que serão completados no dia 21 de janeiro de 2010), o AfroReggae vem utilizando atividades artísticas, como percussão, circo, grafite, teatro e dança para tentar diminuir os abismos que separam negros e brancos, ricos e pobres, a favela e o asfalto, a fim de criar pontes de união entre os diferentes segmentos da sociedade.

O Programa Conexões Urbanas é uma das atividades do Grupo, que apresenta projetos sociais e lideranças que contribuem para a transformação social em vários cantos do Brasil.

:)

@monicabelterra

MOJOB diferente

A nova diretoria do MOJOB - Movimento Jovem de Belterra está decidida: transformar o MOJOB na maior referência para a juventude de Belterra.
O Grupo tem história, foi criado em maio de 1986 pelo saudoso Sr. Farinha e Prof. Ana Isabel que construiram as bases do grupo através do Carimbó da Terra. Em agosto de 2004 constituiu-se como entidade civil, de caráter filantrópico , sem fins lucrativos, voltados às atividades sócio e cultural, visando o desenvolvimento e a capacitação de jovens e adolescentes de Belterra.
Com nova missão, a diretoria fez seu planejamento e incluiu novas atividades como futebol, vôlei, teatro, quadrilha, cinema entre outras. Numa outra linha, decidiu construir a sede do Grupo e tem articulado a aquisição de um terreno para construir o seu local referência. Uma outra frente de trabalho é a expansão do MOJOB para outras áreas. Para isso tem articulado a criação de núcleos na Vila 129, na Estrada 10, na Estrada 08, na Vila Jurubeba, na Estrada 04 e nos demais bairros.
Um exemplo prático de mobilização da juventude, está na realização do projeto CINEMA NA PRAÇA, que ocorre todos os sábados com início às 7 horas da noite, na Praça Brasil, entretenimento que vem conquistando a simpatia de numerosos espectadores entre a população de Belterra. Você que é jovem, venha participar do MOJOB! Venha exercitar seus talentos e contribuir para o maior brilho das manifestações de cultura popular.

Vamos aprimorar nossa capacidade de mostrar a grande variedade das tradições de nosso rico folclore.

Para entrar em contato, procure Willames, o Mizael, a Ryana, o Denilson e os outros diretores do MOJOB.

As reuniões acontecem todos os dias a partir das 8 horas da noite no Telecentro de Inclusão Digital de Belterra, localizado na Estrada 4, Centro.

DSC00188

DSC00207

DSC00210

Imagens aéreas de Belterra

É possível observar nas fotos acima toda extensão da Estrada 1, uma das principais vias do Município, destaque também para a Unidade Mista de Saúde de Belterra e Campo da Praça Brasil.

Estrada 10 recebeu lançamento do Cinema na Praça 2010

Promovido pelo MOJOB - Movimento Jovem de Belterra, a edição 2010 do Projeto Cinema na Praça teve seu início na noite de ontem no Bairro Nossa Senhora das Graças mais conhecido como Estrada 10. A realização ocorreu numa parceria com o récem criado Grupo de Jovens da Estrada 10 que mobilizou a comunidade para a atividade.

Com número expressivo de espectadores, o filme O curioso caso de Benjamim Button chamou a atenção do público presente e levou um nova forma de cultura e lazer para aquela juventude.

Interessante

Esta fotinho foi tirada meio sem querer pelo meu amigo Mizael Santos. Muito esquisito o inseto que parou em frente a câmera e fez pose para o fotógrafo.
Boa imagem Miza. Mas alguém dá um palpite de como é nome do bichinho?

ONG Jequitibá, Unesco e Projeto Saúde e Alegria promovem curso de Rádiojornalismo Comunitário

por Raquel Fernandes

Capacitar comunicadores populares das rádios comunitárias ribeirinhas é o objetivo do Curso de Radiojornalismo, promovido pela Organização Não Governamental Jequitibá, em parceria com a Unesco Brasil e Projeto Saúde e Alegria (PSA), entre os dias 21 à 25 de junho, na sede do PSA em Santarém Pará.

A proposta é idealizada pelos jornalistas suiços Jean-Jacques Fontaine e Yvez Magat e aborda práticas básicas de produção jornalísitica, tais como uso da linguagem radiofônica. técnicas de entrevista, moderação de debates, elaboração de noticiários e realização de reportagens de rua. Os participantes irão ainda produzir um programa de cinco minutos com material elaborado durante os dias de curso.

De acordo com Jean, a ideia é pôr em prática técnicas que ajudam a produzir uma boa entrevista, a hierarquizar a informação, a compreender a importância da pesquisa e saber usar a internet.

O curso prevê a participação de 30 comunicadores, entre eles os jovens repórteres da rede mocoronga das seguintes comunidades: Vila Curuai, Belterra, Vila de Boim, Muratuba, São Pedro, Capixauã, Aminã, Bragança, Samaúma e Suruacá.

De Belterra os participantes serão os repórteres comunitários Mizael Santos e Noelza Pereira.

Acompanhe a realização e resultados desse curso acessando o blog da Rede Mocoronga.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sem tempo

Mil desculpas pela falta de posts, mas é que o tempo está muito corrido.
Domingo tem Cinema na Praça, amanhã a inauguração da única escola de ensino médio na cidade, tenho que entregar meu relatório sobre o Centro de Memória e outras coisas,.
Vocês me entendem né?
Um abraço

terça-feira, 15 de junho de 2010

Brasilllllllllllllll

Rumo ao hexa campeonato.
Viva a seleção brasileira!!!!!!
Nos 4 cantos do Brasil a torcida se anima.
"A taça do mundo é nossa"

Belterra, cidade menina

"Belterra, cidade menina
Tu és a mais linda
Com seus belos jardins
Os seus lindos seringais
É a lembrança viva dos seus ancestrais"
Trecho da música de Carmitus


Belterra
Foto: Celivaldo Carneiro
Com a expansão do comércio da borracha, por volta de 1840, iniciou-se uma nova fase de ocupação da Amazônia. Por causa da grande procura pelas seringueiras quase toda a região foi explorada. A origem do município de Belterra está intimamente ligada a essa época. O milionário Henry Ford queria transformar mais dos seus sonhos em realidade. O objetivo do dono da Companhia Ford, líder na indústria automobilística nos Estados Unidos, era implantar um cultivo racional de seringueiras na Amazônia, transformando-a na maior produtora de borracha natural do mundo.
Nascia, então, a Fordlândia, localizada entre os municípios de Itaituba e Aveiro, que tinha cerca de um milhão de hectares de terras que o governo brasileiro teria cedido à Ford. A vila teria toda a infraestrutura de uma cidade moderna made in EUA. Mas, o sonho não aconteceu, pois a Fordlândia não era uma área propícia para ser base de implantação do projeto. Por isso, técnicos da Holanda e EUA iniciaram intensas investigações para encontrar uma área que fosse ideal para o projeto da Companhia Ford.
A descoberta era perfeita: uma planície elevada às margens do Rio Tapajós, coberta por densa floresta. A essa área Ford chamou de 'Bela Terra', que depois passou a ser chamada de 'Belterra'. A partir daí, o projeto começava a se tornar realidade, e Belterra ficou conhecida como "a cidade americana no coração da Amazônia". O projeto teve início e uma estrutura nunca antes montada em toda a região foi dando vida à futura cidade modelo. Hospitais, escolas, casas no estilo americano, mercearias, portos próximos à praia foram construídos para abrigar as famílias de todos os empregados que estavam trabalhando no projeto. Grande parte dos trabalhadores braçais vinha do sertão nordestino, fugindo da seca, e encontravam no projeto de Henry Ford a salvação.
Em cinco anos, o projeto ganhou dimensões incomuns para a região naquela época: campos de atletismo, lojas, prédios de recreação, clube de sinuca, cinema. De 1938 a 1940, Belterra viveu o seu período áureo e foi considerado o maior produtor individual de seringa do mundo. No entanto, o final da 2ª Guerra Mundial, a morte do filho de Henry Ford, a grande incidência de doenças nos seringais e, principalmente, a descoberta da borracha sintética na Malásia foram fulminantes para a decadência do projeto em Belterra. A partir daí, a área foi negociada para o Brasil e a Companhia Ford abandonou o sonho.
Durante 39 anos, Belterra foi esquecida e a "cidade americana" foi transformada, entre outras denominações, em Estabelecimento Rural do Tapajós (ERT), ficando sob jurisdição do Ministério da Agricultura. Somente em 1997, os moradores de Belterra conseguiram a emancipação do município.

Inclusão Digital na floresta

Entregando certificado para aluno da 1ª turma de inclusão digital do Telecentro de São Jorge
Voluntários treinados pelo Telecentro de Inclusão Digital de Belterra
Primeira turma de informática do Telecentro Comunitário do Distrito de São Jorge

Pense na felicidade que é ver a juventude sendo inserida no mundo digital. Lindo era ver o sorriso no rosto de cada jovem que recebia um certificado. Mas o que importa na verdade é o contato que o povo da floresta vai tendo com as nova tecnologias, que diminuem a distância aos poucos o isolamento das comunidades.