segunda-feira, 31 de maio de 2010

Pedais pelo Mundo faz parada em Belterra

Na última quinta-feira, o cicloturista Filipe César e sua bicicleta “Carmélia" fizeram uma visita à pacata cidade de Belterra. Ele é do Pedais pelo Mundo e idealiza visitar 70 países nos próximos seis anos. Até agora já rodou por sete estados do Brasil e nos próximos dias segue para o Amazonas.

Logo que chegou em Belterra, bateu um papo com os alunos do Telecentro sobre mobilidade urbana e sustentabilidade ambiental e depois convidou à todos para um passeio de bike pelas ruas históricas de Belterra.

Para acompanhar a passagem de Filipe por Belterra, veio a Jornalista Juliane Oliveira de Santarém, que bicicletou com a turma do Telecentro pelas ruas de Belterra.

Valeu Filipe e Juliane pela visita à nossa terra.

Bate papo com alunos da Casa Brasil sobre mobilidade e sustentabilidade.

Filipe mostrando os vídeos dos lugares por onde passou.Passeio pelas ruas de Belterra.Primeira parada na Igreja Matriz de Sto Antonio.Conhecendo o Mirante de Belterra. Dá pra ver o rio e a floresta de lá.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Vamos Fugir


Filme produzido na Ofina de Vídeo Participativo no Telecentro Comunitário de São Jorge. Ele conta a história de um casal que tem um amor quase impossível. Apaixonados, eles jogam tudo pro alto e resolvem fugir. O fim é bem engraçado.
Participantes da Oficina: Marcos, Hélio, Vanessa, Valdilene, Jandreson e outros.
Oficineiros: Bill e Emanuel da Escola Nórdica da Suécia.

domingo, 23 de maio de 2010

Intercâmbio entre Telecentros

Time de futebol do Telecentro de Belterra.
Torcedor assistindo o jogo entre o Telecentro de Belterra e Telecentro de São Jorge.
Chamando à todos para o início das Oficinas de blog, vídeo, metarec, teatro, criaçao de email e outras.
Arilson, oficineiro de manutenção de computadores
Grupo de capoeira da comunidade de São Jorge encerrando as atividades.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Depoimento de Lula para Dilma

Vídeo do PT sobre Dilma Roussef, pré-candidata à Presidência da República.


Mais fotos da festa do PT/PA no seu Encontro Estadual

Veja mais fotos da festa do Encontro Estadual do Partido dos Trabalhadores o qual aprovou ontem, dia 20 de maio, no Hangar, em Belém, seus pré candidatos/as ao governo do Pará, senado, deputado/a estadual e federal. (fotos de Liza Soane, da equipe do blog da Ana Júlia).















quinta-feira, 20 de maio de 2010

PT consagra: Ana Júlia e Paulo Rocha candidatos ao governo e senado

Por aclamação, o PT consagrou Ana Júlia Carepa como candidata ao governo do Pará e o companheiro Paulo Rocha, senador. Eles serão os candidatos majoritários do PT, ficando a vice e a segunda vaga de senador para negociação na base aliada.
Coletiva à imprensa, que encerrou há uma hora.
O povo lota todo o Hangar. É a festa petista no dia que o PT escolhe, por unanimidade, a candidata ao governo e ao senado.
E a animação do grupo de samba de raiz... Todos os candidatos e candidatos à Câmara federal e à Assembleia Legislativa foram apresentados à militância e referendados no Encontro Estadual do PT, que é o mais imortante fórum de decisão partidária. A convenção legaliza as candidaturas, mas a que vale pro PT, é a decisão do Encontro. (Fotos Liza Soane e Lidiane Martins).

Novidades do Telecentro de São Jorge

Dia 11 de Janeiro de 2010 iniciava as aulas de informática básica livre no Telecentro Comunitário de São Jorge. O grande objetivo era de capacitar crianças, jovens e adultos das comunidas do distrito de São Jorge no mundo digital.

O Distrito de São Jorge faz parte do município de Belterra. Engloba mais de 15 comunidades. O Telecentro

No Telecentro, o sistema operacional utilizado é o software livre - Linux que possibita aos usuários uma maior compartilhamento de informações. Os programas trabalhados durante o curso são: editor de desenho, digitação, editor de texto, editor de planilhas electrónicas, editor de apresentações e Noções de uso da Internet.

Segundo o voluntário Zandleme, o Telecentro trouxe um grande avanço para a comunidade, pois agora as pessoas tem muito mais conhecimentos e ficam por dentro das informações do mundo.

Nesta semana, os alunos concluiram o curso básico e se preparam para receber os alunos do Telecentro de Belterra no dia 22 de maio, quando haverá uma integração com o Telecentro de São jorge. Para comemorar o sucesso do curso de informática, que conclui com mais de 70 alunos, o dia da integração terá oficinas livres de blog, criação de emails, vídeo participativo, metarreciclagem, dança e teatro. Na tarde haverá uma programação com torneio masculino e feminino, danças e iguarias da época.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Entrevista com Kiki Mori na revista ARede sobre Telecentro.BR

A revista ARede está em circulação. A Entrevista deste mês é com Cristina Kiomi Mori, a Kiki, da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, responsável pela coordenação do programa Telecentros.BR . O programa concluiu o processo de seleção dos telecentros a serem apoiados com equipamentos, mobiliário, conexão, cursos de formação e bolsas para monitores. Vai beneficiar 10.021 telecentros em todos os estados do país, até o final de 2011. Também já definiu as entidades que vão compor a Rede Nacional de Formação, cuja tarefa será dar cursos de formação a milhares de monitores em todo o país.
Na entrevista, Kiki faz um balanço das propostas apresentadas e conta quais são os próximos passos do programa. Fala do desafios e dos diferenciais do projeto: compatibilizar a oferta de infraestrutura em escala nacional com apoio em termos de formação, criando um colegiado dos 63 projetos vencedores, onde serão debatidos os rumos do programa e de onde, acredita ela, surgirão contribuições importantes para as políticas públicas de inclusão digital.

ARede - Qual a sua avaliação sobre os editais do Telecentros.BR?

Kiki – O simples fato de ter conseguido fazer a licitação e de receber esse número de propostas foi importante. O número de telecentros inscritos, que foi de 14.925, dentro de 1.071 projetos apresentados, superou as expectativas. Agora nos demos conta de que a demanda é ainda maior do que imaginávamos, porque esses foram os proponentes que conseguiram se organizar no prazo e se inscrever. Vamos apoiar 3.513 telecentros em funcionamento e abrir 6.508 novos. Deu muito trabalho, tanto para nós quanto para os proponentes, e muitas propostas foram reprovadas. Às vezes, as pessoas que estão na ponta, querendo montar um telecentro, reclamam do resultado. “Pôxa, mas meu lugar precisa muito de telecentro” ou “este telecentro aqui precisa de apoio, por que não apoiaram?”. Mas a lógica do programa foi a escala. A gente não conseguiria dar escala atendendo telecentro por telecentro. Por isso, selecionamos proponentes que vão estar próximos de um conjunto de telecentros. O que a gente não queria era abrir telecentro e deixar pelo caminho, como já aconteceu. Boa parte das mil propostas recusadas foi de proponentes que não entenderam que nós demos prioridade a propostas com no mínimo dez telecentros.

ARede - Qual o perfil das propostas escolhidas no edital de apoio aos telecentros?

Kiki – Foram contempladas 63 propostas, para implantar telecentros em todos os estados. São 11 de órgãos públicos federais, empresas estatais federais e da Fundação Banco do Brasil; oito de projetos estaduais; 30 de municipais e 14 da sociedade civil, muitas vezes em parceria com governos municipais ou estaduais. O maior número de telecentros vai para a Bahia (1.272), seguida por Minas Gerais (1.244). Inscreveram-se programas mais antigos, como a prefeitura de BH, o governo da Bahia, o governo do Pará. Essas são as três maiores redes. Do governo federal, tem os programas já existentes. O do Banco do Brasil, que é uma das maiores propostas; do Ministério do Desenvolvimento Agrário, outro dos maiores; do Serpro. São projetos que já estavam em andamento. Há outros que se organizaram para participar. Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Justiça, Censipam, Ministério da Integração são exemplos de órgãos federais que tinham, em seus programas, demanda por espaços de inclusão digital. Era um pouco essa a nossa expectativa. De quem estava em funcionamento vir para um barco que a gente começa, agora, a tocar como uma política pública mais pactuada entre as três esferas.

ARede - Que tipo de apoio os telecentros mais pedem?

Kiki – Há uma grande demanda por formação. A maior quantidade de demanda por bolsas (valor a ser pago aos monitores) foi de duas bolsas de R$ 241,50. Quase todos os telecentros pediram duas bolsas com esse valor, em vez de uma com o valor cheio, de R$ 483,00. E a gente teve quase a mesma quantidade de pedidos para a formação de não-bolsistas. Dos 14.925 inscritos, 14.781 telecentros pediram bolsa. Desses, 11.555 pediram duas de R$ 241,50; 3.012 telecentros pediram a bolsa inteira e 214 só meia bolsa. Além disso, houve uma demanda enorme para a formação de monitores, independente de bolsa: 11.262 telecentros pediram a formação de dois monitores não-bolsistas e 2.553, de um. No total de alunos a serem formados, esses pedidos somam 28.596. A demanda é realmente muito grande. O programa vai oferecer um total de 8 mil bolsas.

A demanda por conexão também é bem grande. Dos 14.925 telecentros, 12.461 pediram conexão. Mas uma parte pediu a conexão para substituir a que já está funcionando, e isso não vamos fazer. Vamos atender os que não têm realmente conexão. Do total de pedidos, há 894 espaços de inclusão digital em funcionamento, mas sem conexão.

ARede - Qual é o diferencial do programa em relação aos demais?

Kiki – O governo federal tinha conseguido chegar a muitos lugares com infraestrutura (equipamentos, conexão, mobiliário). Mas nós estamos juntando essa escala com a parte da formação. Esse é o grande diferencial, fazer chegar a formação para um monte de lugares. Colocar a infra junto com a possibilidade de formação e a bolsa para os jovens vai dar um apoio de melhor qualidade aos telecentros. Também estamos criando instâncias para discutir, com os projetos parceiros, os rumos do programa. O projeto prevê a criação de um colegiado das 63 iniciativas, para dialogar com a coordenação executiva, que é do Ministério do Planejamento. A gente quer dialogar em termos mais gerais de gestão. O conjunto de proponentes aprovados é muito variado. Em termos de perfil, há municípios de vários tamanhos. Além disso, dependendo da região, há uma participação maior de um tipo ou outro de parceiro, governo, sociedade civil, universidades. Isso vai ajudar a discutir como organizar uma política pública que contemple essa diversidade. Então a gente vai ter tanto o apoio para a atuação do telecentro na ponta, para que possam funcionar com qualidade, enquanto espaços novos para a discussão de políticas públicas de inclusão digital.

ARede
- O Ministério das Comunicações é responsável por comprar equipamentos, mobiliário e ceder conexões do programa. Na primeira semana de maio, informou que tinha recursos para comprar apenas 2 mil kits de telecentros e que esses equipamentos, em princípio, iriam para as bibliotecas implantadas ou modernizadas pelo Ministério da Cultura. Vai haver recursos para implantar 3 mil novos telecentros do programa este ano? Como compatibilizar a entrega dos kits e da conexão com a formação dos bolsistas, se há incerteza sobre quando chegam os equipamentos?

Kiki – No orçamento do governo sempre há contingenciamento de recursos. Eles estão com os recursos contingenciados mas não significa que não estão aprovados no orçamento. A gente tem uma negociação de limites orçamentários para atender os programas prioritários e o Minicom está conversando isso com a Secretaria de Orçamento, porque está definido que o programa tem de ser atendido. O Ministério das Comunicações já fez o pregão dos kits, é um registro de preço. No momento em que houver a demanda do governo, a empresa firma o contrato na quantidade que você precisa. Agora a gente tem o trabalho de formalizar os acordos com os projetos vencedores e colocar no cronograma de recebimento das máquinas. Então, há um intervalo de tempo. Além disso, há telecentros em funcionamento que vão receber formação. A gente pode colocar como meta atendê-los primeiro. Os novos, estamos solicitando aos proponentes que organizem quais vão ser da primeira leva, o primeiro trimestre de atendimento, o que eles dão conta de fazer de julho a setembro, e onde precisa entregar as coisas. De outubro a dezembro, também. A gente não vai conseguir, com o que tem de orçamento este ano, atender todos os telecentros novos. Mas colocamos nos cronogramas pelo menos os 3 mil previstos. O restante, atenderemos se tiver mais orçamento. Mas também fica para 2011, porque os acordos de cooperação valem até o fim do ano que vem. Porque é até onde a gente consegue colocar recursos no Plano Plurianual. Mas se o programa for um sucesso, entra no próximo PPA. E é isso que pretendemos, dar continuidade ao programa.

ARede - Como conhecer as propostas que ganharam e o que pretendem fazer com os telecentros?

Kiki – Os proponentes colocaram as informações de cada iniciativa no Sistema Integrado de Apoio a Telecentros (SIATC). A gente quer transformar isso em informação pública via Observatório Nacional da Inclusão Digital, que é nossa forma de divulgar informações sobre os programas.

ARede - O fato de terem aparecido mais propostas de abrir novos telecentros (10.237) do que pedidos de apoio a telecentros em operação (4.688) tem relação com o ano eleitoral? Abrir telecentros é uma boa maneira de fazer propaganda política.

Kiki – Tenho um pouco de tristeza em todo ano eleitoral, porque dá uma sensação de que não se pode fazer nada porque tudo é eleitoreiro. A gente está discutindo esse programa há muito tempo e só não conseguiu fazer antes porque não saiu antes. Será que tem demanda inchada porque é ano eleitoral? Não sei. Mas todo mundo que mandou a demanda vai ter de comprovar. Por isso tem um cronograma de metas para os proponentes, para implantar os telecentros e colocá-los em operação. Depois, dar conta de acompanhar. Tomara que nessas 63 propostas não haja nenhum telecentro que vai ficar para trás porque o proponente não deu conta. Nós tentamos avaliar as propostas de maneira a evitar isso. A maratona formal, para eles, termina dia 31 de dezembro de 2011.

ARede - Os parceiros escolhidos para a rede de formação estão habituados a trabalhar com seu público específico, sua metodologia específica, seu conteúdo específico. Como eles vão se articular para fazer um trabalho realmente conjunto?

Kiki – O que a gente estava solicitando no Manual Operacional da Rede e nos dois avisos de Chamamento Público era de uma grande complexidade. Não no sentido de compreensão, mas porque, entre as entidades que trabalham com inclusão digital, de fato, quem já fez isso nessa escala? Reunimos uma comissão de avaliação que olhou essas propostas com muita atenção. Cada dupla de pareceristas teve poucas propostas para analisar. Essa comissão tinha estudado o que o programa precisava. Entendeu, inclusive, o que cada proponente tinha de mudar, se não daria conta. Conseguimos ter vários olhares críticos, para além dos nossos, que são bem críticos, e visualizar os pontos fortes e fracos das propostas aprovadas. Solicitamos formalmente que eles melhorem o que foi apontado pela comissão de avaliação como pontos fracos. Daqui a duas semanas, os representantes dessas propostas vão fazer um seminário conjunto e começar, desde antes de pactuar os instrumentos (provavelmente será um convênio), a discutir o papel de cada um. Cada polo precisa entender que faz parte de um projeto nacional. E que o polo regional vai atender a região, não apenas um estado. O polo nacional é de São Paulo e paulistanos e paulistanas geralmente não gostam muito de olhar para o Brasil. Agora vão ser obrigados a dialogar com a diversidade das regiões, que tem proponentes bacanas, que têm a capacidade de dizer com muita propriedade o que a cara daquela região em termos de inclusão digital.

Veja os vencedores do edital da Rede Nacional de Formação.
Veja os vencedores do edital de apoio aos telecentros.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Saindo do Telecentro

Nova missão, novos desafios. Trabalhar sem Internet é um deles, pelo menos nos primeiros dias. Entreguei a coordenação do Telecentro na última sexta-feira para a Nataleuza Pinto, que já monitorava as turmas de informática e assumi a coordenação do Centro de Memória de Belterra.
É difícil mudar de rotina depois de 4 anos participando ativamente do Telecentro de Belterra. Foram muitas tarefas, amizades, viagens, alunos e etc...Desejo boa sorte à nova coordenação e desde já me coloco à disposição para o que o Telecentro precisar.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Dunga deixa Neymar e Ganso fora da Copa do Mundo

Dunga depecionou a maioria dos brasileiros e deixou de fora da Copa do Mundo de 2010 os atuais ídolos do futebol brasileiro: Neymar e Paulo Henrique Ganso.

Conforme havia dito, a lista de 30 selecionados para a competição na África do Sul não teve nenhuma novidade. Desses, 7 ficarão de “sobreaviso” para o caso de algum inconveniente, como lesão ou outro motivo.

Confira a lista de convocados;

Goleiros – Júlio César, Gomes e Doni

Zagueiros – Juan, Lúcio, Luisão e Thiago Silva

Laterais – Gilberto, Maicon, Daniel Alves e Michel Bastos

Meios-de-Campo – Gilberto Silva, Felipe Melo, Josué, Kléberson, Elano, Ramires, Kaká, Júlio Baptista,

Atacantes – Luís Fabiano, Robinho, Nilmar e Grafite

Vivo no aniversário de Belterra

No dia 04 de maio de 2010, a Prefeitura de Belterra comemorou o aniversário de 76 anos com o encerramento da Gincana Cultural, os parabéns ao município, um enorme bolo e salva de fogos.

Antecedendo ao evento, todas as autoridades convidadas e a população em geral, encontrava-se na praça da cidade, onde estava sendo realizada a Feira da Produção Familiar. Nas barracas, podiam ser encontradas desde artesanato local, até comidas típicas da região como tacacá, vatapá e doces variados produzidos com frutas da época.

Mônica de Almeida, que estréia a nova campanha da Vivo em Belterra, não perdia oportunidades e twitava, onde estivesse, sobre tudo o que acontecia na programação e na praça.

Durante o cerimonial de encerramento, foi dada a palavra ao Gerente Regional da Vivo, Jorisnaldo Ximenes, que homenageou o município de Belterra, entregando ao Prefeito Geraldo Pastana uma placa agradecendo a parceria firmada com a Vivo. O Prefeito agradeceu o ato ao gerente, pois, com a antena em Belterra, a população agora pode desfrutar de momentos de inteira conectividade com o mundo.

Texto de Simone Sena da Vivo/Santarém

Juventude no trabalho de base em Belterra

O PT de Belterra-Pa está avançando na formação de seus militantes políticos. Após participar de um curso básico no qual estuda os conteúdos introdutórios para a formação política, os militantes saem à campo para a retomada do trabalho de base nas comunidades. Foram estabelecidas 20 localidades prioritárias para serem trabalhadas, além de seguimentos e categorias profissionais.
Um dos destaques do trabalho iniciado em Belterra está no seguimento da juventude que se organizou em duplas, trios e quartetos e estão à todo vapor conhecendo a realidade social, econômica e política das comunidade de Pindobal, Porto Novo e Aramanaí. inclusive da realidade da juventude belterrense. O próximo passo dependerá do resultado do diagnóstico, porém em todas comunidades já é possível iniciar o trabalho social e de formação com a juventude local.
No total são cerca de 25 jovens que assumiram o compromisso de atuarem nas comunidade por um período mínimo de três anos e contribuirem para o desenvolvimento social, econômico e político das localidades escolhidas.
Algumas fotinhos da Retomada do trabalho de base em Belterra.
Chegando na comunidade e esperando a canoa para a travessia.
Emprestamos uma canoa para chegar à outra margem do Igarapé.
Vida estressante da juventude ao fazer o trabalho.
Juventude sendo bem recebida pela presidente da comunidade.Bate-papo com a juvenude para a criação do grupo de jovens.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Bastidores do Comercial da Vivo

Abrindo aquele sorriso para a pergunta mais difícil: Você tem namorado?
Comecei a chorar quando respondi perguntas sobre família e minha mãe veio me ajudar.
Ela é que respondeu a pergunta sobre meu namorado.
Heitor Dhalia, grande cineasta nacional, em frente a minha casa.

Tem receita pronta pra tudo?



Ensino pode ser prejudicial a sua criatividade. Olha aí o que pode acontecer quando não tem ninguém por perto pra te dizer como se faz.
Dizem mesmo que o chato de seguir caminhos já percorridos, apesar de ser mais fácil, é que com certeza eles levam a um lugar que alguém já chegou antes de você.

Não sei o nome dessa senhora desse sujeito (que parece uma pacata senhora mas não é), mas acho que que se a gente fosse lá fazer uma visitinha e perguntasse por que ela toca desse jeito ela não ia entender a pergunta.


Wagner Brenner
Update or Die, 08/05/10

Publicado no Blog da Claudia Amaral - http://claudiamaral.blogspot.com/2010/05/tem-jeito-certo.html

Notas da campanha Vivo Belterra

C:\Documents and Settings\a0020487\Desktop\_3.jpg

Esta nota saiu no Jornal Diário do Pará em Belém.

C:\Documents and Settings\a0020487\Desktop\_2.jpg  C:\Documents and Settings\a0020487\Desktop\_2.jpg
Esta outra nota saiu no jornal O liberal também de Belém.

sábado, 8 de maio de 2010

Belterra tem feira da Produção Familiar organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais

Por : Stefanie Auer - cooperante do DED no Conselho da Cidadania Belterra
O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Belterra realizou, entre 01 e 08 de maio, a III Feira da Produção Familiar do Município, que contou com o apoio de parceiros como DED, EMATER Pará, Secretaria de Agricultura (SAGRI) e órgãos do governo municipal.
Sob o tema "Belterra, Produzir e Preservar" foram expostos para degustação produtos culinários da região, como frutas típicas, derivados da mandioca (farinha, tapioca, bejú, tucupi), doces de vários tipos (geléias, chocolate, bolos, biscoitos) e comidas como tacacá (feito com camarão e jambú - uma hortaliça da região). Durante a feira, a população também teve a oportunidade de apreciar shows culturais e participar de atividades esportivas.
Várias instituições locais mostraram e venderam artesanatos produzidos por moradores de diferentes comunidades. Foram comercializadas jóias, bolsas feitas de borracha e até cadeirinhas produzidas na forma dos bichos da floresta amazônica.
A feira existe desde 2008 e é um meio essencial para valorizar e estimular a diversificação da produção familiar regional. Através dela, o município tem a oportunidade de mostrar sua diversidade cultural, o saber da população e "desenterrar" algumas tradições já esquecidas, como danças e comidas.

Novidades do Centro de Memória













Bosque das Seringueiras












Antiga Secretaria de Saúde














Hoje Centro de Memória de Belterra

Estou entusiasmada com meu novo trabalho. Na nova missão, poderei usar meus conhecimentos de jornalismo e de outras áreas que tenho certo domínio.
Venha conhecer o Centro de Memória de Belterra que tem por objetivo incentivar e divulgar pesquisas sobre a história do Município de Belterra. Faremos isso, por meio de projetos e ações educativas destinados à valorização do patrimônio e da memória local. Nossa responsabilidade é catalogar, preservar e disponibilizar acervos históricos adquiridos para consulta pública total e irrestrita, bem como contatar instituições afins e localizar acervos de interesse.
O endereço é Vila Americana, nº 168, no Bosque das Seringueiras. Fica aberto das 8 às 17h.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Terra boa se chama, Belterra

Chico Malta é um cantor e compositor regional. Ele mora em Alter de Alter do Chão e escreve músicas sobre a vida de caboclo da amazônia, da floresta, dos rios e do cotidiano do povo.
O conheci através do Projeto Saúde e Alegria há cerca de 5 anos e desde lá não perdemos o contato. Sou apaixonada por música regional e dia desses ele me apresentou uma nova composição que fala da minha terrinha. Veja:

Belterra -Chico Malta

Ah! Bela Terra que há
Terra boa se chama, Belterra
Quero me encantar a sombra dos seringais
Quero te ver crescer muito mais
Tudo que planta cresce na terra
Tudo que planta dá
Terra tão boa hospitaleira
Quem vem já quer ficar
Belterra

Destaque nacional para o Projeto Conexão Belterra

Texto de Fábio Pena

A nova campanha da VIVO, Brasil Conectado, destaca as iniciativas do Projeto Saúde e Alegria nos Municípios de Belterra em Santarém. A agência de publicidade de São Paulo, DPZ, produziu os vídeos que já estão sendo divulgados pela internet, no hotsite da campanha.

A produção dá enfoque especial ao projeto Conexão Belterra, parceria da Vivo, Ericson, Saúde e Alegria e Prefeitura de Belterra, sendo a jovem blogueira da Rede Mocoronga, Monica Almeida, a personagem principal:

Já em outro vídeo, o trabalho de atendimento médico e as possibilidades que a conectividade pode oferecer são apresentados, tendo o médico fundador do PSA, Eugênio Scannavino como destaque:

Casamento com jornalista

Tenho recebido diversos emails de amigos jornalistas ou estudantes de jornalismo sobre os "40 motivos para se casar um jornalista".

Tudo começou em fevereiro quando a acadêmica paulista de comunicação social Ariane Fonseca fez uma lista com as razões(vantagens) de juntar as trouxinhas com o profissional da imprensa.

Agora, acabaram de me enviar um texto com os
40 Motivos para não se casar com um jornalista (e talvez procurar alguém com um emprego decente).

Que engraçado!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Nova tarefa






































































À convite do Instituto Butantan, assumi a coordenação do Centro de Memória de Belterra desde o dia 1º. É uma tarefa desafiadora que tem como objetivo catalogar, preservar e divulgar o acervo da história e patrimônios históricos de Belterra.
Com a expansão do comércio da borracha, por volta de 1840, iniciou-se uma nova fase de ocupação da Amazônia. Por causa da grande procura pelas seringueiras quase toda a região foi explorada. A origem do município de Belterra está intimamente ligada a essa época.
Estou gostando do meu trabalho, que será muito importante para a pesquisa deste período e
a busca de acervo para o Centro de Memória.
Toda ajuda é válida para o meu novo trabalho. Se algum leitor tem materiais históricos como fotografias, objetos e até mesmo depoimentos da história de Belterra, por favor entre em contato comigo.

Reinaldo Azevedo quer Churchil na campanha pelo voto aos 16

Ouvi falar, mas ainda não tinha lido o destaque dado pelo grão-articulista tucano, Reinaldo Azevedo, para a campanha pelo primeiro voto lançada pela Juventude do PT. Bom sinal de que os assuntos juvenis a cada dia ganham mais a pauta da nação, inclusive através da grande imprensa.Reinaldo critica a campanha dizendo que "o Porco Fedorento [Che] é apresentado como sinônimo de idealismo". Também qualifica o grande libertador latino como "assassino", falando sobre supostas centenas de execuções feitas ou ordenadas por Guevara.Que ele tema uma revolução como o diabo a cruz é natural, até pelas pessoas com quem ele anda e a quem ele serve, mas mostrar-se surpreso porque Che é apresentado como "sinônimo de idealismo" é um atentado à sua própria autoproclamada inteligência liberal, basta ver as camisetas "de marca" usadas pelos jovens de todas as classes até hoje.Imagino que Reinaldo gostaria muito de poder lançar uma campanha para jovens se alistarem eleitoralmente aos 16 anos referenciada em Churchil, Rockfeler ou De Gaule, o que seria, com certeza, um fracasso retumbante tal qual suas idéias para o Brasil.Só mais um sonho que ele morrerá sem ver realizado.
Leopoldo Vieira, blogueiro de assuntos juvenis.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Flashes da Festa de aniversário

Telma Galvão recebendo o troféu dos Piratas de campeã da Gincana 2010
Maestro da Orquestra Prof José Agostinho


Vereadora Malu e 1ª dama Toninha

Twitando direto da festa de 76 anos

Naldo Ximenes da Vivo Regional entrega placa de homenagem à Belterra para o prefeito Pastana.

Airton Faleiro esteve em Belterra

O deputado estadual Airton Faleiro-PT esteve em Belterra ontem, 4 de maio. Ele representou a governadora Ana Júlia na festa de aniversário da cidade. Recepcionado pelo pelo prefeito Pastana, Faleiro falou das melhorias implementadas em Belterra pelo governo popular e parabenizou a cidade pelos 76 anos de histórias.
Airton Faleiro, foi o primeiro coordenador do Movimento Pela Sobrevivência da Transamazônica e Região do Xingu, após mais de duas décadas militando na região oeste do Pará como líder sindical, firmando atuação histórica com as classes sociais. No período de 1999 a 2001, foi vice-presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Pará (Fetagri) e, em seguida, presidente da entidade. Antes disso, de 1995 a 1998, foi diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). Nas eleições gerais de 2002, foi eleito pela primeira vez, com 23.571 votos, para um mandato político. Na Assembléia Legislativa, transformou-se no articulador e interlocutor do desenvolvimento sustentável do Pará junto ao Governo Lula, nos anos de 2007 a 2010 foi Líder do Governo Ana Júlia, na Assembléia Legislativa, no qual, ajudou a conquistar muitos benefícios para diversas categorias e a formular políticas que se tornaram programas de Governo.